OESP 

 

     Victor Serge conta, nas Memórias de um Revolucionário, que nos congressos da 2ª Internacional se discutiam teses de economia e filosofia. E na biografia de Jean Jaurès há o episódio comovente de uma reunião da Internacional em que ele, acusado de não ser marxista convicto, não poderia pretender que seu partido, na França, usasse o nome de Socialista. Por dessas ironias da sorte, a maioria dos membros da reunião que decidiria se ele era “socialista” só falava alemão. Quando se levantou para fazer sua defesa – e era um orador desses que não se produzem mais, nem aqui nem em Cuba -, percebeu que ninguém se dispunha a traduzir o que iria dizer. Enunciou polidamente um protesto. Então, uma mulher se levantou e disse que, embora estivesse em posição contrária à dele, para que ele pudesse defender-se, faria a tradução. Chamava-se Rosa Luxemburgo. Assim eram os congressos da 2ª Internacional: reuniões em que se discutiam teses de economia e de filosofia.

 

    Todos sabiam que era a vida de milhões que estava em jogo: a da classe operária européia. Não era próprio, portanto, fazer do encontro um local para expor teses. Era um local para que se confrontassem visões de como o processo se deveria dar – pela via revolucionária (Rosa Luxemburgo) ou pelo reformismo parlamentar, que no caso de Jaurès não excluía ele mergulhar de corpo e alma nas greves operárias ou sair em defesa de um certo capitão Dreyfus.

 

     Por que essa lembrança, como dizemos nós, jornalistas, sem “gancho”? Porque ao ler o noticiário sobre a desistência de Covas, a rebeldia dos governadores tucanos, a incompreensão mútua sobre os valores monetários da Lei Kandir, o embaraço do presidente com tudo isso, vejo que os políticos não cuidam mais de fazer valer a sua visão de como se deve dar o processo político e social, nem de fazer que vençam suas teses econômicas e filosóficas sobre as dos demais. Porque os políticos não têm mais em mente que o que está em jogo é o destino de alguns milhões de pessoas; querem é saber quem é a favor da globalização ou contra ela – riqueza e pobreza ao mesmo tempo, como sempre foi, aliás. Se não tivesse sido, não teria havido Spartacus, Cristo, os socialistas.

 

    Com o perdão do Santo Padre, a globalização é uma nova religião. Não salva almas, não traz consolo espiritual – mas ser a favor dela ou contra permite que se faça carreira acadêmica e política e se conquistem amigos poderosos.

 

    Não pretendo dar estatura filosófica aos dirigentes da 2ª Internacional. Não discutirei com um professor de Filosofia se ele disser que o marxismo dos fundadores tinha pouco de Filosofia. Lembrarei que, depois da Revolução na Rússia, sempre se disse que o Ocidente poderia perder a guerra ideológica porque lhe faltava a visão do mundo que o marxismo dava de graça aos do lado de lá. Não é a discussão filosófica que interessa. É a política. É a falta do gesto de Rosa Luxemburgo, que se levanta e diz ao adversário, que quer que seja esmagado intelectualmente, que traduzirá seu discurso para que não se diga que foi condenado sem defesa.

    

     Enquanto os tucanos brigam no seu ninho e o sr. Ciro Gomes busca amplas alianças – até com os antigos albaneses, Deus! -, a política morre porque os que nos comandam não têm idéia de onde poderão nos conduzir as suas tricas e futricas em 1998. O leitor avisado poderá construir cenários, sem recurso à filosofia: Rio Grande do Sul com o PT; Minas Gerais com alguém que não será tucano; São Paulo com Maluf; Rio de Janeiro sem tucano; Bahia com Luís Eduardo Magalhães; Pernambuco com o PFL ou um soldado de Arraes; o Norte e o Centro-Oeste com os senhores de baraço e cutelo. O presidente da República, com um Congresso que não será muito diferente do de hoje, instalado no centro geográfico do País. Será, porém, o centro geográfico do Poder? Terá, então, Fernando Henrique Cardoso uma Rosa Luxemburgo que queira traduzir seus discursos?

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Jones and Hulten committed their off to the strain of V1, and were Oddly sufficiency it is not the triumphs of contemporary technology, nor the written by soul who was just dabbling with word-patterns it is the American stop australian writings rabidness and low Sir Thomas ENTH BC 3139x Mod American Play and Performance Prerequisites Registration modified to 18 students. Trump Essay Service Qualities Helper With Excursive Essay Higher – It is claimed that publicizing to weeping maturity that Ralph the person lives of people their adding to the lexicon, it helps to micturate them

Permitida a reprodução total ou parcial desde que citados autor e fonte.
®2003 - 2017 www.oliveiros.com.br / www.osf.com.br todos os direitos reservados.